Intitulada “Arquitetura de Exceção – O Pavilhão do Brasil na Expo’70 Osaka” exposição apresenta ao público aspectos pouco conhecidos desta importante obra de Paulo Mendes da Rocha

Após ampla reforma, a Escola da Cidade inaugurou em 27 de outubro, às 11h, a primeira Galeria dedicada à exposição de Arquitetura no Brasil, consolidando assim a prática de anos, com exposições das atividades pedagógicas, de convidados nacionais e internacionais, lançamentos de publicações da Editora da Cidade e outros eventos.

O espaço, que contará também com uma livraria, está instalado no térreo da Faculdade, com 30 metros de vidro voltados para a Cidade, promovendo assim uma relação entre a Rua e a Galeria. A responsabilidade da curadoria do novo espaço será do corpo diretivo da Escola.

“A Galeria de Arquitetura, transparente e pública, consolida nosso desejo de ser a cidade o local, por excelência, da Educação”, afirma Ciro Pirondi, diretor da Escola da Cidade.

A inauguração da Galeria conta com a exposição “Arquitetura de Exceção – o Pavilhão do Brasil na Expo’70 Osaka”, sobre a obra de Paulo Mendes da Rocha.

Sob a curadoria de José Paulo Gouvêa, com montagem de Alvaro Razuk, arquitetos e professores da Escola da Cidade e com co-curadoria do arquiteto e professor da Escola da Cidade Alexandre Benoit e pelo arquiteto e professor da Unicamp, Rafael Urano Frajndlich, a exposição atualiza o edifício e expõe os seus propósitos; da proposta do concurso até o inédito projeto estrutural de engenharia, mostrando ao público aspectos pouco conhecidos desta importante obra de Paulo Mendes da Rocha.

A Exposição – No momento de maior acirramento da ditadura militar, pós-AI5, um concurso público elege para representar o país na Expo’70, em Osaka, no Japão, o projeto do jovem arquiteto Paulo Mendes da Rocha.

“Contrariando o sombrio ambiente político do período, o edifício apresentava a continuidade das expectativas artísticas da década anterior. O pavilhão, uma cobertura em concreto armado e protendido associada a um desenho topográfico, uniu técnica e natureza, arte e política”, afirma José Paulo Gouvêa, curador da exposição.

As pranchas apresentadas pela equipe de Paulo Mendes da Rocha no concurso público estarão expostas. “Sua arquitetura estava originalmente ligada a uma exposição pensada por Flavio Motta que, apesar de não executada, está registrada em 43 manuscritos acerca do elo entre forma e conteúdo imaginados pelos autores”, afirma Gouvêa.

A exposição também apresentará ao público, pela primeira vez, o projeto executivo de estrutura a partir de desenhos refeitos pela equipe curatorial, oferecendo ao público uma ideia mais aprofundada sobre as fôrmas, ferragens e dimensionamento do edifício. “O projeto de Engenharia civil, concebido por Siguer Mitsutani e desenvolvido por Katsuhiko Sato, mostra a íntima relação entre arquitetura e estrutura”, completa.

Por fim, uma maquete de 1,60×1,00m sintetizará os conteúdos apresentados nas pranchas e permitirá a leitura do edifício arquitetos e pelo público em geral. Em paralelo, linhas do tempo e textos explicativos conectam a existência do edifício com o regime do período.

A exposição é fruto de uma parceria de fomento com o CAU/SP – Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo.

Serviço:
Exposição “Arquitetura de Exceção – O Pavilhão do Brasil na Expo’70 Osaka”
Até 23/11/18
De segunda a sexta, das 10h às 20h
Local: Escola da Cidade
Rua General Jardim, 65, São Paulo / SP
Gratuito
(11) 3258-8108
http://www.escoladacidade.org/