Ciclo analisa contribuições do arquiteto Maurício Nogueira Lima à arte brasileira

Maurício Nogueira Lima

Uma parceria entre o Instituto Maurício Nogueira Lima e o Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo reúne, de 17 de abril a 15 de maio, especialistas, pesquisadores e arquitetos em torno da obra do arquiteto brasileiro Maurício Nogueira Lima (18 de abril de 1930/1 de abril de 1999) e suas contribuições para a arte brasileira.

Participam do ciclo nomes como o da curadora Regina Teixeira de Barros, da artista plástica Áurea Nogueira Lima (filha de Maurício Nogueira), do pesquisador Alexandre Pedro de Medeiros, dos arquitetos Chico Homem de Mello e Selma Sevá, museólogo Fábio Magalhães e da pesquisadora Stela Politano.

Maurício Nogueira Lima estabeleceu um interessante diálogo com diferentes grupos e artistas no interior do universo artístico brasileiro, produzindo obras no campo da pintura figurativa, pop art, construtivismo, concretismo e geometrismo. Foi o mais jovem integrante do Grupo Ruptura, que reuniu artistas abstratos geométricos no início da década de 1950.

O ciclo apresenta o cenário das artes plásticas brasileiras, em particular o período em que se concebe a produção de Maurício Nogueira Lima. Aborda aspectos em torno da abstração, do concretismo, da dissidência Neoconcreta e do Grupo Ruptura, o manifesto e a sua produção artística, bem como as tendências figurativas presentes na década de 1960 e as especificidades da arte pop brasileira no contexto da ditadura militar.

Programação:

17/4 – Concretismo e neoconcretismo – Reflexão sobre aspectos do concretismo paulista, a partir da análise de obras de Maurício Nogueira Lima e membros do Grupo Ruptura, e discussão sobre o Manifesto lançado pelo grupo. Abordagem das principais divergências conceituais e visuais entre os concretistas paulistas e os cariocas do Grupo Frente.

Com Regina Teixeira de Barros, doutoranda do PPG em Estética e História da Arte. Foi curadora da Pinacoteca do Estado de São Paulo. É docente na Pós-Graduação no Centro Universitário Belas Artes. Curou a mostra Anita Malfatti: 100 anos de arte moderna, no MAM/SP.

Com Áurea Nogueira Lima, é filha de Maurício Nogueira Lima e artista plástica. Cursou Educação Artística pela UNISANTA/Santos. Já expôs coletivamente seus trabalhos no SESC Santos, I Bienal Internacional de Gravura de Santos e Galeria de Arte Braz Cubas.

24/4 – Neofiguração – Abordagem das tendências neofigurativas surgidas no início da década de 1960 e das especificidades do diálogo da produção artística brasileira com a arte pop no contexto da ditadura militar. Serão comentados os trabalhos produzidos por Maurício Nogueira Lima neste período e por artistas contemporâneos a ele.

Com Alexandre Pedro de Medeiros, doutorando em História da Arte no IFCH-UNICAMP. Atuou como pesquisador de arte contemporânea no Museu Afro Brasil. Foi curador da exposição Claudio Tozzi: Territórios e outros trabalhos, na Biblioteca Octavio Ianni do IFCH-UNICAMP.

8/5 – Maurício Nogueira Lima, designer, arquiteto – Serão apresentadas a vanguarda modernista dos anos 1950 e a obra de Maurício Nogueira Lima nos campos do design e da arquitetura.

Com Chico Homem de Mello, mestre e doutor em Arquitetura e Urbanismo na FAU/USP. É professor do Departamento de Projeto na mesma universidade. Realizou os projetos das exposições “Túnel do tempo do design gráfico no Brasil”, no SESC Pompeia e “Papéis efêmeros – Memórias gráficas do cotidiano”, no SESC Ipiranga.

Com Selma Sevá, arquiteta, integrou o corpo docente das universidades Belas Artes, Brás Cubas e Paulista. Foi companheira de Maurício Nogueira Lima por 27 anos, com quem dividiu o escritório de arquitetura. É diretora do Instituto Mauricio Nogueira Lima.

15/5 – Maurício Nogueira Lima, o artista e a metrópole – Abordagem de temas dos anos de 1950: a formação construtiva e uma visão abrangente da arte, que inclui a indústria, a moda, o design; e anos 1960: MNL, artista da nova objetividade; sua crítica política, engajamento nas lutas pela redemocratização; e o professor.

Com Fábio Magalhães, museólogo, curador e artista plástico. Foi professor na UnB, PUC-Campinas e Mackenzie, conservador-chefe do MASP e diretor da Fundação Memorial da América Latina. É diretor artístico do Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba.

Com Stela Politano, mestre em História da Arte e doutoranda no Programa de História da Arte do IFCH-UNICAMP. Ministrou aulas no IFCH-UNICAMP, IA-UNICAMP e SENAC. É pesquisadora e coordenadora do acervo do Instituto Maurício Nogueira Lima.

Serviço:
Maurício Nogueira Lima: contribuições à arte brasileira
De 17 de abril a 15 de maio de 2019, quartas, das 19h às 21h30. Exceto dia 1/5.
Recomendação etária: 16 anos. 70 vagas.
Preço: R$ 50,00 (inteira); R$ 25,00 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública); R$ 15,00 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes).

Tradução em Libras disponível. Faça sua solicitação com no mínimo dois dias de antecedência da atividade através do e-mail centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br.

Informações e inscrições pelo site (https://centrodepesquisaeformacao.sescsp.org.br) ou nas unidades do Sesc no Estado de São Paulo.
Serviço de van até a estação de metrô Trianon-Masp, de segunda a sexta, às 21h30, 21h45 e 22h05, para participantes das atividades.

Centro de Pesquisa e Formação Sesc
(11) 3254-5600.
Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar.
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 10h às 22h. Sábados, das 9h30 18h30

Contatos:
Centro de Pesquisa e Formação Sesc
(11) 3254-5600
https://centrodepesquisaeformacao.sescsp.org.br/

Instituto Maurício Nogueira Lima
(19) 3381-1041 / 3236-3833
http://mauricionogueiralima.com.br/